Oficina de Artes Manuel Cargaleiro

A Oficina de Artes Manuel Cargaleiro, projeto arquitetónico da autoria do Arqt.º Siza Vieira, tem por objetivo promover a arte contemporânea, em particular a obra do mestre Manuel Cargaleiro, assim como as coleções da Fundação Manuel Cargaleiro, através da realização de exposições temporárias, do desenvolvimento de atividades educativas no âmbito da sua programação e da promoção de parcerias com organismos congéneres.

Numa ótica de serviço público, o Serviço Educativo da Oficina de Artes Manuel Cargaleiro deverá desenvolver a sua atividade tendo em vista uma grande variedade de públicos, aos quais deve procurar responder com atividades e programas adequados às suas necessidades e expectativas.

A Oficina assumirá uma vertente pedagógica, através de exposições temáticas, de conferências e publicações. As componentes de divulgação, com loja para venda de produtos associados às temáticas das exposições e de investigação, serão também funções deste equipamento.

A componente experimental ocupa uma função fundamental, através da instalação de oficinas de cerâmica e marcenaria, espaços de formação e aprendizagem, de criatividade e de restauro.

A situação estratégica da localização da Oficina, na Península de Setúbal e próximo de Lisboa, com fáceis acessos ferroviários, rodoviários e marítimos, permitirá atrair um fluxo elevado de visitantes.

Por outro lado, o terreno da implantação do edifício, com uma grande área envolvente ajardinada, oferece um panorama deslumbrante sobre o rio Tejo e sobre Lisboa, favorecendo a segurança e a conservação das coleções e tornando o espaço atraente para as visitas à Oficina e também aos seus jardins.

Manuel Cargaleiro

Manuel Cargaleiro nasceu a 16 de março de 1927 em Chão das Servas, Vila Velha de Ródão, no distrito de Castelo Branco. Em 1949, ingressou na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa e participou na Primeira Exposição Anual de Cerâmica, no Palácio Foz, em Lisboa, onde realizou igualmente a sua primeira exposição individual de cerâmica, no ano de 1952.

O ano de 1954 foi marcante na carreira artística de Manuel Cargaleiro: recebeu o Prémio Nacional de Cerâmica Sebastião de Almeida, iniciou funções de professor de Cerâmica na Escola de Artes Decorativas António Arroio e apresentou as suas primeiras pinturas a óleo no Primeiro Salão de Arte Abstracta.

Nas décadas de 1960 e 1970, Manuel Cargaleiro participou em inúmeras exposições individuais e coletivas e durante este período afirmou-se não apenas como um conceituado ceramista mas também como um notável desenhador e pintor. O pleno reconhecimento, nacional e internacional, da obra de Manuel Cargaleiro ocorreu na década de 1980.

Com este projeto, Manuel Cargaleiro regressa ao Seixal e, em particular, à Quinta da Fidalga, local de onde guarda memórias e vivências da sua infância.

Projeto arquitetónico

Situada na Quinta da Fidalga, a Oficina de Artes Manuel Cargaleiro é um projeto arquitetónico da autoria de Álvaro Siza Vieira que se caracteriza por uma articulação harmoniosa entre os diferentes elementos arquitetónicos e os espaços envolventes.

Desenvolvendo-se numa única planta, a volumetria quebrada do edifício pretende criar uma sequência de espaços interiores e exteriores que caracterizam a Oficina de Artes. O átrio dá acesso ao balcão de receção e à sala de exposições. A articulação dos espaços expositivos em “S” permite a eventual subdivisão por painéis desmontáveis.

A iluminação natural e controlável destes espaços é garantida por envidraçados sobre o jardim. A iluminação artificial é feita por sancas ou tetos luminosos, de modo a permitir as condições ideais para cada tipo de utilização.

Dimensões do projeto: 
Área de implantação: 2588,56 m2
Área construída: 569,76 m2
Área útil total: 488,58 m2
Átrio: 115,49 m2
Balcão de receção: 11,46 m2
Sala de exposições: 273,67 m2
Armazém: 35,98 m2

Álvaro Siza Vieira

Álvaro Siza Vieira nasceu em Matosinhos, a 25 de junho de 1933. Estudou Arquitetura na Escola Superior de Belas Artes do Porto (ESBAP), entre 1949 e 1955. Realizou a sua primeira obra em 1954. Foi colaborador do professor Fernando Távora entre 1955 e 1958 e ensinou na ESBAP entre 1966 e 1969, tendo reingressado em 1976. Foi ainda professor na Faculdade de Arquitetura do Porto. Além disso, foi professor visitante em várias instituições de ensino internacionais. 

É autor de numerosos projetos nacionais e internacionais em áreas tão diversas como a habitação social, as residências privadas, os complexos residenciais, os equipamentos culturais, a arte pública e a recuperação urbanística. Ao longo da sua carreira, participou em vários seminários e conferências na Europa, na América e no Japão assim como em diversos concursos internacionais.

Desde os anos 1990, foi nomeado Doutor Honoris Causa por diversas universidades em Portugal, Espanha, França, Itália, Peru e no Brasil.

Foi distinguido com inúmeros prémios e condecorações, de que se destacam a Medalha de Ouro da Fundação Alvar Aalto, o Prémio Prince of Wales da Harvard University e o Prémio Europeu de Arquitectura da Comissão das Comunidades Europeias/Fundação Mies Van der Rohe. Em 1992, foi-lhe atribuído o Prémio Pritzker da Fundação Hyatt de Chicago pelo conjunto da sua obra.

Equipamento
Cultural
Morada
Avenida da República 2571
Arrentela
2840-741 Seixal

Tel.: 210 976 108
Email

Horário

Terça-feira a sábado, das 10 às 17 horas (horário de inverno) e das 10 às 18 horas (horário de verão)
Encerrado de 16 a 31 de agosto

Partilhar

Está aqui