Moinho de Maré de Corroios

O Moinho de Maré de Corroios, edificado em 1403 por iniciativa do Santo Condestável Nuno Álvares Pereira, constitui um exemplo do aproveitamento da energia das marés, cuja aplicação à atividade moageira se generalizou noutros tempos no estuário do Tejo.

Em 1404, o Condestável doou-o, assim como aos bens que tinha nesta região, ao Convento do Carmo, ordem religiosa de que era Mestre. Já no início do século XVIII foi ampliado, mas não tardou a sofrer novamente obras, pois o terramoto de 1755 causou-lhe grandes estragos. Este Moinho, conhecido também por Moinho do Castelo, mantém-se em condições de funcionamento até aos nossos dias. Em 1980 foi adquirido pela Autarquia. Durante 6 anos sofreu obras de restauro e em 1986 abriu ao público, como núcleo do Ecomuseu Municipal do Seixal.

Devido a obras de conservação e requalificação, este núcleo esteve encerrado ao público até setembro de 2009, e reabriu após um processo de qualificação com um investimento de mais de 2 milhões de euros.

Classificado como Imóvel de Interesse Público, o moinho oferece a todos os visitantes uma exposição de longa duração denominada 600 Anos de Moagem no Moinho de Maré de Corroios.

Morada
Rua do Rouxinol, Quinta do Rouxinol, Corroios

 

Telefone 212 275 778 | 210 976 112

 

Horários
Verão (junho - setembro):
De terça a sexta-feira, das 9 às 12 e das 14 às 17 horas.
Sábado e domingo, das 14.30 às 18.30 horas.

 

Inverno (outubro - maio):
De terça a sexta-feira, das 9 às 12 e das 14 às 17 horas.
Sábado e domingo, das 14 às 17 horas.

 

Encerramento: segunda-feira e feriados nacionais.

 

No seguimento da declaração do Estado de Emergência pelo Governo, este equipamento encontra-se encerrado nos dias 28 e 29 de novembro e 5 e 6 de dezembro de 2020.

Partilhar

Está aqui